Viagem a um mundo de esperança

3 de março de 2018

A caravana voluntária de pastores ao Oriente Médio, realizada em 2017 e liderada pelo Pr. João Marcos Barreto Soares, diretor executivo de Missões Mundiais, foi a escolhida pelo Pr. Sérgio Captura de Tela 2018-02-23 às 16.57.21Douglas, da Igreja Batista Vila Leopoldina, em Duque de Caxias/RJ, para impactar vidas com a mensagem de esperança do Grande EU SOU.

“Falar dessa viagem é falar de crescimento; falar de conhecer o campo e conhecer um campo dos refugiados. E conhecer os missionários que estão lá foi um crescimento muito grande para mim”, comenta o pastor.

Com um brilho nos olhos, ele revela ainda a emoção de ao longo de 10 dias ter passado por lugares onde Jesus passou como Cafarnaum e Gadara.

“Foram 10 dias de experiência com Deus, com crescimento espiritual e aprendendo na prática a geografia bíblica”, conta Sérgio.

A viagem aconteceu no período do Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, o que aumentou a experiência do Pr. Douglas e seus companheiros de viagem. Eles puderam conhecer de perto os costumes do povo daquela região e toda a pressão espiritual que envolve quem participa do jejum.

Mas os pastores conheceram também outra realidade, a dos judeus, mais próxima do comportamento social brasileiro.

Tudo o que viveu no Oriente Médio foi muito diferente para o Pr. Sérgio de tudo o que ele conhecia até então. Até mesmo a alimentação foi uma novidade para ele. Mas o pastor prefere destacar a importância dos nossos missionários no campo e o desenvolvimento de projetos.

“Uma coisa é você contribuir, outra coisa é você orar e outra coisa é você estar no campo, vendo a realidade dos nossos missionários. O papel de Missões Mundiais tem sido abençoador. Estive na casa do missionário e vi a estrutura que ele tem para desenvolver o trabalho com tranquilidade”, comenta.

O pastor pôde, inclusive, conhecer de perto o projeto Casa de Cultura de Surdos, o qual sua igreja apoia. Ele gostou muito de ver que este trabalho engloba também a área esportiva e conta com os dons e talentos de um missionário que usa a sua profissão para aproximar a comunidade local de Cristo. Outra ação que chamou sua atenção foi a realizada por um outro missionário que frequentemente visita um campo de refugiados para conversar com as famílias, ouvir as suas histórias, fazer amizades e, desta forma, falar da importância de Jesus para suas vidas.

Quando você vai ao campo, você volta com o coração ainda mais firme na obra. Fui para um lugar onde as pessoas são perseguidas, não podem falar abertamente de Jesus Cristo. E quando voltei ao Brasil, onde somos livres para anunciar o Pai, me deparei com a triste realidade de que muitas vezes ficamos dentro das quatro paredes”, diz.

Diante disso, o pastor voltou com essa perspectiva de avançar ainda mais.

“Se estamos avançando dentro da questão nacional, precisamos avançar também com projetos para ir além das nossas fronteiras”, encerra.

Você também pode embarcar em uma viagem voluntária a um de nossos campos. Confira agenda 2018 e faça a sua pré-inscrição.

por Marcia Pinheiro



Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.