Venezuela: refugiados no Brasil

28 de fevereiro de 2018

O número de refugiados da Venezuela aumenta a cada dia, especialmente nas fronteiras de Brasil, Colômbia e Peru. Em nosso país, o estado de Roraima é o que mais recebe venezuelanos todos os dias. Boa Vista, capital de Roraima, está abarrotada de venezuelanos que deambulam pelas ruas, praticando a mendicância e clamando pela misericórdia dos brasileiros para poder levar alguma comida para os familiares.

Segundo um pastor de Boa Vista, existe uma rua que já ficou conhecida como a “Rua dos 80 reais”, pois ali mais de uma centena de jovens venezuelanas se prostituem todos os dias para poder comprar algum alimento para suas famílias.

Muitas das pessoas que hoje estão mendigando em Roraima são profissionais: médicos, engenheiros, arquitetos, professores, executivos… Pessoas altamente qualificadas em suas profissões, mas que, diante da crise que enfrentavam em seu país, decidiram fugir com suas famílias para o Brasil, esperando ter uma vida melhor.

Em setembro de 2017, uma antiga ovelha venezuelana, a irmã Gisela Elvira Gonzalez, que é esposa do Pr. Bladimir Rodriguez, me enviou uma mensagem compartilhando o que estava passando. Ela, o marido, três filhos e seis netos chegaram a Boa Vista praticamente com a roupa do corpo, buscando um lugar para sua família e, ao mesmo tempo, sentindo nos seus corações o desejo de compartilhar o amor de Cristo com seus compatriotas na diáspora.

Graças ao amor e à generosidade de um grupo de pastores em Roraima, Gisela e sua família foram acolhidos. Na Igreja Batista da Liberdade, em Boa Vista, todos os domingos se reúne um bom grupo de venezuelanos que, além da fome física, manifesta também fome espiritual. O Pr. Bladimir e Gisela estão trabalhando com seus compatriotas todos os dias na esperança de amenizar a dor que compartilham. E graças à ajuda de alguns pastores de várias partes do Brasil e de amigos pessoais, temos podido, pela graça e misericórdia de Deus, providenciar sustento para essa família durante os últimos cinco meses!

Tenho orado e conversado com alguns líderes da Junta de Missões Nacionais para que o Pr. Bladimir e Gisela sejam convidados para atuar como missionários a fim de ministrar aos milhares de venezuelanos, em Boa Vista ou Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. O sonho desses irmãos seria alugar alguma fazenda para poder preparar uma hospedagem provisória para abençoar os venezuelanos, especialmente no seu primeiro mês como refugiados, para oferecer-lhes café da manhã, almoço e jantar, enquanto os refugiados procuram algum trabalho e lugar para morar.

Ore por Missões Nacionais e seus planos de começar um ministério que possa abençoar os milhares de venezuelanos na fronteira com o Brasil, tanto em Pacaraima quanto em Boa Vista. Ore pelo Pr. Bladimir e Gisela, para que o Senhor os abençoe e sejam usados como instrumentos nas mãos de Deus para mostrar aos refugiados de sua pátria o amor, a compaixão e a misericórdia do Senhor. Ore pelos milhares de venezuelanos que abandonam todos os dias o seu país e se dirige para o Brasil, Colômbia, Peru e outros países da América do Sul buscando pão, teto e um trabalho para alimentar suas famílias. Ore pela Convenção Batista Brasileira, para que o Espírito Santo mova o coração dos nossos líderes e pastores a fim de que uma ação de misericórdia sem precedentes seja realizada no estado de Roraima, onde um grupo de pequenas igrejas não tem os recursos necessários para fazer frente a um tsunami de gente desesperada.

José Calixto Patrício
missionário em Portugal, atuou de 1977 a 1994 na Venezuela



Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.