Perseguição na Ásia

9 de março de 2018

No início deste ano, foi publicado pela Agência Open Doors o ranking anual dos 50 países onde é mais perigoso ser cristão. A agência tem analisado a perseguição a cristãos há 25 anos e, por 14 anos consecutivos, a Coreia do Norte tem sido o pior país para seguir a Jesus.

A Ásia como um todo tem sido um novo centro de preocupação, enfrentando crescimento significativo em lugares como Laos e Butão. O relatório diz que os fatores que têm contribuído com o avanço neste ranking são, principalmente, o nacionalismo e o extremismo religioso.

Aproximadamente 215 milhões de cristãos experimentam hoje um alto ou extremo nível de perseguição; isso significa que 1 a cada 12 cristãos vive onde o cristianismo é ilegal, proibido ou punido.

“Cinco dos seis países onde a perseguição mais cresceu são de maioria muçulmana, com exceção do país onde moramos que tem experimentado uma crescente nos incidentes de perseguição a cristãos”, conta Lucas Mota, um de nossos missionários no Sul da Ásia.

Lucas diz que quase toda semana recebe relatórios que dão conta de diversos casos de perseguição registrados no país, o qual não citamos o nome por questões de segurança. Eles vão da exclusão social, abuso, violência física, até a prisão.

“Um obreiro nosso, que mantém 85 igrejas no norte do país, nos disse que eles acreditam e pregam para si mesmos que chegou a hora de ‘pagar o preço’ por seguir o Filho de Deus, e que não vão voltar atrás. Eles sabem que Deus está com eles e, por isso, não temem o que o homem possa lhes fazer”, conta Lucas.

Pedimos que não deixe de orar pela igreja sofredora. Clame incessantemente. Peça a Deus para que seu Espírito se manifeste poderosamente nestes países e que haja salvação e libertação; que mais pessoas passem das trevas à sua maravilhosa luz, e que mais obreiros continuem se levantando para abençoar estes povos.

colaboração: Beatriz Bastos
ADOTE ESTE PROJETO



Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.