Melhor presente do pai

10 de agosto de 2018

Os missionários Henrique e Henriqueta Davanso alegram-se com a decisão de sua filha, Emanuelle Davanso, em ser missionária. Com grande felicidade, Pr. Henrique conta um pouco da trajetória dessa família.

Depois de alguns anos de casamento, o Senhor nos abençoou com o nascimento da Emanuelle. Sua gestação foi em um treinamento missionário antropológico/transcultural. Desde sua infância, Emanuelle esteve envolvida com tudo o que fazíamos. Fosse  na igreja ou na casa de recuperação a qual ajudávamos quase que diariamente.

Lembro-me de uma vez em que a Igreja estava fazendo uma campanha e ela no final do culto pediu para entregar a sua bicicleta recém-comprada para a obra do Senhor. Quando fomos entregar, ela colocou a bicicleta no estacionamento ao lado de outros carros e ela mesma chamou o pastor para entregar a bicicleta que estava doando à igreja.

Outra vez marcante, foi quando fomos chamados por Missões Mundiais para fazermos um treinamento transcultural no Centro Integrado de Educação e Missões no Rio de Janeiro (CIEM). A Henriqueta falou sobre o amor de Jesus, seu sacrifício e a obra redentora na cruz. Então nossa filha, com sete anos de idade, aceitou a Jesus ali no jardim do CIEM.

Quando chegamos à Albânia, em 2006, Emanuelle começou a estudar numa escola americana para filhos de missionários. Iniciamos os trabalhos na cidade onde ajudamos a plantar  a primeira Igreja Batista de Bathore. Lá ela fez muitas amizades e logo aprendeu a falar o seu terceiro idioma (Albanês). Suas amigas se tornaram uma grande ajuda para a Emanuelle, pois nesse tempo elas interagiam tanto em suas casas como nos trabalhos da igreja.

Junto com suas amigas, Emanuelle começava a ajudar a tomar conta de outras crianças menores na escola dominical, além de participar do louvor. Ela sempre viveu em um contexto missionário, cercada por missionários e pastores que com certeza ajudaram a formar sua consciência missionária.

Um outro  "detalhe" que não posso deixar de escrever aqui é o ambiente em que vivemos. Somos  focados na obra missionária, compartilhando  o amor de Deus, valorizando as pessoas, transmitindo o seu amor  a cada um que conhecemos. Aonde íamos sempre levávamos a Emanuelle e, ela sempre participou de tudo, inclusive algumas viagens missionárias em outros países, cidades,  vilarejos e  montanhas.

A Henriqueta sempre foi um exemplo de dedicação, incansável na obra missionária. Quase todos os dias nos reunimos para  o nosso devocional bíblico.

Creio que o dia a dia de convivência e aprendizado nas situações diversas, em levar a palavra de Deus aos não alcançados, com a participação da Emanuelle, foi formando em seu caráter o de Cristo. Cremos que isso possa ter influenciado na sua decisão de ser uma missionária, se Deus quiser, em seu devido tempo.

Não esquecemos o dia em que ela chegou para jantarmos juntos e disse: “Pai, mãe, eu quero ser missionária como vocês!” Foi espontâneo, e para nós foi um dos melhores presentes de Deus. Sentimos que somente a graça de Deus pode fazer alguém tomar uma decisão dessas, pois somos falhos e imperfeitos e carentes da misericórdia do Senhor todos os dias. Por isso damos toda honra e toda glória ao Senhor Jesus!

Para essa família é uma dádiva ter a Emanuelle  dedicada na obra missionária e a mesma também louva a Deus por essa decisão.

“Tomei a decisão de fazer a Escola Bíblica para que, se Deus quiser, Ele me use e faça a vontade Dele em minha vida. Sempre gostei de trabalhar com crianças e elas sempre se achegam  a mim. Eu estou pronta para aprender  e servir a Jesus”, declara Emanuelle.

 

ADOTE ESTE CASAL MISSIONÁRIO


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.