Som da Vida

10 de julho de 2017

O Som da Vida é o maior festival de música gospel da América Latina, segundo seus organizadores. Ele vai acontecer de 13 a 15 de julho no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro, e mat_arte_som-da-vidaMissões Mundiais estará na Arena das Missões com um estande em que apresentaremos ao público, estimado por organizadores em 150 mil espectadores nos três dias, nossas ações e projetos nos campos. Quem passar por nosso estande poderá viver uma experiência transcultural e a realidade da igreja sofredora, impedida de cultuar livremente a Deus.

Segundo o diretor artístico do Som da Vida, Lincoln Lyra, o evento quer fazer o trabalho missionário mais conhecido entre o público participante, sobretudo jovem.

“Queremos fazer do Som da Vida uma ponta de lança para a divulgação para pessoas que, muitas vezes, estão com a vocação arquivada ou o chamado escondido por uma realidade do Evangelho no Brasil que muitas vezes fica na superficialidade”, diz Lyra. “Somos hoje uma nação muito representativa do povo evangélico, mas que, na nossa visão, tem recuado com relação ao chamado missionário”, destaca.

O missionário mobilizador Diego Santana, atuante na zona oeste do Rio de Janeiro, diz sobre a igreja sofredora que muitos irmãos sofrem por não ter liberdade para exercer a sua fé. Para muitos deles, entrar em um templo religioso e poder cantar ao Senhor Jesus o mais alto que puderem, sem ter sua liberdade ou integridade física ameaçada, é uma realidade distante.

“[Nossa participação não destacará] apenas o âmbito religioso, mas também será um protesto da sociedade contra a intolerância religiosa. Queremos que o Brasil e o mundo saibam que repudiamos e não concordamos que irmãos nossos em todo o mundo sofram por exercer a fé cristã”, afirma o mobilizador.

O Som da Vida é também um evento musical, e terá como atrações nomes nacionais e internacionais.

“Quando estiverem celebrando ao Senhor com canções e júbilo neste grande evento, os participantes serão desafiados a pensar na igreja sofredora, que não tem a mesma liberdade e o privilégio de adorar a Deus livremente como eles estarão fazendo naquele momento”, ressalta Diego.

E a organização do Som da Vida quer que a música seja um pretexto “para que as pessoas sejam tocadas pelo Espírito Santo e despertadas para visões muito mais profundas, como a questão missionária, uma responsabilidade do comissionamento feito por Jesus”, completa Lyra.

“Para nós, construir e consolidar esse evento tem sido um grande desafio. Mas é motivo de alegria saber que, de alguma forma, estamos contribuindo para a visão missionária da igreja de uma forma global, entendendo a igreja como tendo um cabeça, que é o nosso Senhor Jesus Cristo. A música e todos nós, o nosso serviço, a nossa condição de servos na construção desse evento é para a proclamação do Evangelho no Rio, na nação, no mundo”, conclui o diretor artístico do Som da Vida.

Para mais informações sobre o Som da Vida, como atrações musicais, atividades e ingressos, acesse www.somdavida.com.br. O evento também está nas redes sociais, em www.facebook.com/somdavida e www.instagram.com/oficialsomdavida.

por Willy Rangel

ADOTE UM MISSIONÁRIO OU PROJETO


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.