Missões em família

10 de março de 2018

Dona Maria Eunice Lopes, membro da Igreja Batista Jardim Bosquemat-missoes em familia em São Mateus – São Paulo/SP incentiva o amor por missões em sua família.

Sua neta, Ana Clara Lopes Vieira, de 9 anos, é fruto deste compartilhamento. Ela desenvolveu em seu coração o desejo de ir para o campo missionário.

Como promotora de missões em sua igreja a avó de Ana Clara tem sido um grande exemplo de amor missionário. Ela participa de ações missionárias, acampamentos voltados para os promotores e, sempre que possível, leva os netos a alguns desses eventos, a fim de aproximá-los da obra missionária.

“Eu gosto sempre de conversar com os meus netos e envolve-los nos projetos que participo. Procuro despertar neles o desejo de servir e amar missões”, conta dona Maria.

Ana Clara está sempre por perto. Quando a avó recebe os materiais das campanhas de Missões Mundiais, lê as cartas dos missionários e faz ações para levantar recursos para os campos. Em todo tipo de envolvimento da família com missões, a menina está presente.

Certo dia, a dona Maria Eunice ouviu da sua neta a seguinte frase: “Vó, eu quero ser médica pediatra”.

Dona Maria se alegrou com a revelação. Mas ficou ainda mais feliz quando Ana Clara explicou o porquê de sua escolha. A menina disse que queria ser médica pediatra para trabalhar com as crianças nos campos de Missões Mundiais. Ouvir isso da própria neta fez o coração da Maria Eunice bater mais forte.

“Eu fiquei tão feliz com aquilo que hoje eu falo para todo mundo que minha neta quer ser médica para cuidar de crianças no campo”, declara a vó da menina.

Ana Clara pertence a uma família que ama missões. Seus pais, Aline Lopes e William Gomes, também fazem parte da Igreja Batista em São Mateus, que tem um forte envolvimento missionário.

“Eu enxergo a vontade da Ana em ser missionária uma benção, ela sempre se espelhou em minha mãe, que já faz parte disso. Glórias a Deus por isso”, diz a mãe.

“Desejo que seja feita a vontade de Deus, mas cremos que independente dela se tornar médica e ir para o campo, o desejo de fazer missões no coraçãozinho dela deve ser alimentado”, comenta o pai.

O exemplo dentro de casa fez crescer ainda mais a chama do amor por missões no coração de Ana Clara.

colaboração Ana Jhuly Stellet

ADOTE UM PROJETO MISSIONÁRIO


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.