Oração x perseguição

29 de março de 2018.

 

A questão da perseguição religiosa em países fechados ao Evangelho de Cristo é cada vez mais presente em nossa realidade. Mas nós somos o povo da reconciliação e acreditamos que o nosso Deus é maior que a perseguição sofrida por nossos irmãos em Cristo, principalmente na Ásia e no Norte da África. Este mês, nosso diretor executivo, Pr. João Marcos Barreto Soares, fez um apelo de oração às igrejas por um de nossos missionários na Ásia que havia sido detido em uma de suas viagens. Felizmente, logo depois ele foi deportado para um país europeu.

“Agradecemos a todos que oraram e manifestaram seu apoio nesse momento difícil. Que Deus os recompense. Temos diversas preocupações ainda, notadamente com os demais obreiros da região. Mas confiamos em Deus e em seu cuidado, disse o Pr. João Marcos.

Por questões de segurança, não podemos citar o nome do nosso missionário e tampouco o do país onde ele se encontrava. Mas confiamos em Deus para que ele e sua família permaneçam em segurança e, em breve, voltem a anunciar o grande Eu Sou como a esperança aos que ainda vivem no engano.

O diretor executivo de Missões Mundiais pede que continuemos a orar por este nosso missionário, pois acredita que a detenção tenha sido traumática.

“Ore também pela família deste nosso missionário, pelos processos que seguem, pelos obreiros locais, pelos convertidos na Ásia e pelas decisões que precisaremos tomar. Estamos confiantes que aquele que começou a boa obra a concluirá”, diz.

A ACN (“Ajuda à Igreja Necessitada”, em tradução do inglês) produziu um estudo sobre perseguição religiosa em 13 países onde acredita-se que os cristãos enfrentem as piores circunstâncias de vida e maiores abusos. A conclusão é que a perspectiva piorou em todos eles, com exceção da Arábia Saudita, único país “onde a situação já era tão ruim que dificilmente poderia piorar”.

O estudo, intitulado “Perseguidos e Esquecidos?” repercutiu na imprensa internacional e destacou o fato de que em muitos países há um risco iminente da extinção do cristianismo através da matança de fiéis. No relatório, os responsáveis salientam que, diariamente, cristãos são submetidos a “atrocidades indescritíveis”, sendo submetidos à fome forçada, abortos e crucificação, incineração ou morte sob esmagamento, através do uso de rolos compressores.

Seja um intercessor da igreja sofredora. Cristo precisa ser anunciado as nações e atitudes como estas não podem intimidar o povo de Deus. Afinal, a Bíblia diz que precisamos abençoar os que nos perseguem. E a maior bênção que temos é o amor de Cristo. É Ele que precisamos levar ao mundo

 

 

por Marcia Pinheiro

 

FAÇA SUA DOAÇÃO AQUI

 

 



Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.