Futebol em “campo”

25 de junho de 2018

O esporte, especialmente o futebol, além de uma prática saudável, é uma poderosa mat_futebol ucraniaferramenta de igualdade, unidade, congraçamento e – igualmente – anunciação do Evangelho. Mais uma vez, nos campos de Missões Mundiais da CBB, o futebol foi usado por Deus como instrumento evangelístico. Em maio, os missionários Anatoliy Shmilikovskyy e Lyubomyr Matveyev, da Ucrânia, receberam um grupo de 12 atletas brasileiros em viagem missionária que rendeu dezenas de conversões, reconciliações e convocação de jovens para o campo de Missões.

Em 18 dias o grupo percorreu, de acordo Anatoliy, as cidades de Mariupol, Kiev, Irpin, Rivne e Lviv. Foram realizadas mais de 20 clínicas de futebol, da qual participaram 1.500 pessoas entre crianças, adolescentes e jovens; participação em 8 jogos amistosos e 10 torneios locais; visitação a uma prisão, à sede do Dínamo de Kiev e à Federação de Futebol da Ucrânia; além da presença em 10 cultos e muitos encontros com centenas de pessoas.

Em Mariupol, primeira parada na viagem, os missionários de Missões Mundiais da CBB conduziram os jogadores pelas ruas de uma cidade aterrorizada pela guerra separatista entre um grupo rebelde e o exército russo. “Mariupol fica a menos de 20 km da zona de conflito com a Rússia. Vimos, de perto, a depressão gerada pela guerra. Poucas pessoas na rua, avenidas sem trânsito, comércio quase fechado; crianças sem alegria nos rostos... Tudo isso deixou os integrantes, e nós missionários, em estado de choque. Contudo, vimos um povo aberto, receptivo, faminto e sedento por Deus”, afirmou Lyubomir Matveyev. No domingo, os atletas participaram de um culto jovem na maior igreja daquela cidade, com a presença de mais de 500 pessoas. Para o missionário Anatoliy, a experiência naquela celebração foi impactante e renovadora. “Fomos impactados no culto jovem. Os líderes da equipe de futebol Jefferson Franco e Marcos Daniel foram sábios ao compor a equipe. Os testemunhos de Diogo Rincón (que jogou no Dínamo de Kiev) e de Chiquinho (ex-Internacional/RS), entre outros jogadores, e as impactantes mensagens do Pr. Danillo Scarpelli (pastor brasileiro no Chile) foram usadas por Deus para manifestar a graça de Cristo. Já fiz parte de várias viagens e projetos, mas quando vi a igreja cheia de jovens senti a presença de Deus. Esquecemos que a guerra estava a apenas 20 km, e a esperança brotou nos corações”, afirmou.

Ainda na cidade de Mariupol, o grupo participou de um torneio de futebol com mais de 100 jovens. Após os jogos, o Pr. Danillo compartilhou uma mensagem do Evangelho e fez o apelo à salvação. Os resultados em campo pouco importavam naquele momento. Muito menos o som das bombas explodindo nas áreas de conflito, próximas do local em que o grupo estava. “Todos ficamos com medo, é claro. Os jovens locais, incrivelmente já acostumados, não se importaram e mantiveram-se atentos à Palavra. No final, a grande maioria aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador”, disse Anatoliy.

Já na capital ucraniana, Kiev, os “missionários da bola” visitaram uma prisão de segurança máxima, unidade com mais de 600 presos. Eles jogaram em um campo de terra batida, dentro daquela unidade prisional, contra uma equipe formada por detentos. Por ser um local de segurança máxima, com presos perigosos, apenas alguns deles assistiram a partida – ainda assim apenas das minúsculas janelas de suas celas. O jogo, no depoimento dos missionários da JMM, foi duro mas leal.

Porém, o mais difícil foi observar as expressões dos presos. “Os seus rostos nos chocaram – sem dentes por causa do uso constante de drogas, sem esperança, sem vontade de viver... Expressões com muito ódio e dor. Pensamos como o pecado desumaniza a criação de Deus. No final, fomos ao espaço de oração e, por segurança, somente 30 detentos nos acompanharam. Os testemunhos do Diogo Rincón e do Pr. Danillo foram tão fortes que todos choramos. Quase todos ali aceitaram o Evangelho! Glórias a Deus”, finaliza Anatoliy Shmilikovskyy.

É o esporte, com sua linguagem universal e inclusiva, aproximando vidas do grande Eu Sou, esperança às nações.

ADOTE ESTE PROJETO MISSIONÁRIO


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.