Doe Esperança a crianças e lactantes

13 de novembro de 2017

Dentro do programa Pão Nosso, foco da campanha natalina Doe Esperança este ano, uma das frentes de atuação é o projeto An na Buru, compartilhardesenvolvido em um país na África Ocidental com forte perseguição religiosa. Ali o An na Buru vem atendendo desde maio de 2016 crianças de até 5 anos de idade em situação de risco por causa da desnutrição e também lactantes. E pelo fato de não haver nenhum posto de saúde nas aldeias mais próximas, os atendimentos acabam por abranger também problemas simples, como curativos.

Assista ao vídeo da campanha Doe Esperança 2017.

Acesse o site da campanha Doe Esperança 2017.

Segundo Gabriela Mendes, nutricionista e missionária na África Ocidental, o An na Buru realiza cerca de 200 consultas por mês, e a comunidade sempre demonstra muita gratidão e receptividade. É o que ela pode constatar com a história do pequeno Gausson.

“Recebemos o paciente Gausson com um ano e meio, bem fraco, nem andava devido a um quadro de desnutrição e anemia bem complicado. Pudemos ajudar semanalmente com sulfato ferroso e farinha enriquecida durante seis meses e também trabalhamos com educação nutricional visando ao aproveitamento integral dos alimentos disponíveis na aldeia”, conta Gabriela, segundo quem a mãe do pequeno Gausson é bastante consciente e atenta, tendo se esforçado ao máximo para seguir as orientações.

“Atualmente, Gausson nos visita uma vez por mês para controle, mas está recuperado e bem mais forte e saudável”, destaca Gabriela.

O projeto também ajuda mulheres grávidas ou que estejam amamentando seus bebês. Foi assim que o An na Buru recebeu uma senhora chamada Aminata.

“Aminata tinha muita dificuldade para amamentar. O bebê nasceu com bom peso e saudável, mas em 15 dias já tinha perdido quase 1 kg, pois a mãe não produzia leite”, relata Gabriela. “A mãe queria que ajudássemos com alguma fórmula de leite especial, e fizemos isso por 15 dias para tentar reverter essa perda de peso, mas percebemos que a mãe estava desnutrida, desidratada e anêmica. Sendo assim, iniciamos um tratamento com soro caseiro para hidratação e sulfato ferroso com ácido fólico, e o leite começou a vir. Hoje ela consegue amamentar normalmente”, conta Gabriela.

Para a nutricionista e missionária, o atendimento e a educação em saúde são importantes, pois têm aberto portas que não seriam abertas de outra forma.

“Não há uma pessoa que recuse oração ou uma palavra de conforto quando está doente, então temos pedido sabedoria ao Pai para aproveitar bem as oportunidades. Compreendemos que as boas novas também incluem mudanças sociais e melhora na qualidade de vida da comunidade, por isso temos nos esforçado para melhorar os atendimentos e o trabalho educacional”, conclui Gabriela.

Doe Esperança
A campanha Doe Esperança deste ano quer dar sua contribuição para ajudar a reverter o triste quadro de desnutrição de crianças em Guiné-Bissau, Moçambique e em um país na África Ocidental, porém o objetivo é fazer com que esse alcance seja mundial. Somente nos sete primeiros meses de 2017, mais de 30 mil pessoas foram alcançadas pelas ações de nutrição. Com a sua doação, iremos formar agentes de saúde, farinha enriquecida e cuidados nutricionais a mulheres grávidas e lactantes.

Neste Natal, Doe Esperança para que uma nova geração possa ter um futuro salutar e fortificante.

Doe e conecte outras pessoas no combate à fome de crianças no mundo. Ligue para 2122-1901/2730-6800 (cidades com DDD 21) ou 0800-709-1900 (demais localidades), nos dias úteis, das 8h às 19h (horário de Brasília). Se preferir, envie um WhatsApp para 98216-7960 ou 98055-1818, ambos com DDD 21, ou escreva para [email protected].

Visite www.doeesperanca.org.br e compartilhe esta campanha nas redes sociais com as hashtags #DoeEsperança e #PãoNosso.

por Willy Rangel

FAÇA SUA DOAÇÃO


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.