Chamados a ser Num

20 de abril de 2017

O culto da Juventude Batista Brasileira (JBB), uma das reuniões que antecederam a 97ª Assembleia da Convenção Batista mat_cbb-2017_encontro-jbb_destaqueBrasileira (CBB), foi marcado por muito louvor. O ministério de louvor SOS botou jovens de todas as idades pra glorificar a Deus com a música “Até que Ele venha”, entre muitos outros louvores. A Igreja Batista da Pedreira, em Belém/PA, onde o culto aconteceu na noite desta quarta-feira (19), estava completamente lotada. Foi preciso cadeiras extras para acomodar tanta gente, todos curiosos por conhecer um pouco mais sobre a igreja sofredora. A alegria estava estampada no rosto de todos até que o diretor executivo e o gerente de Missões da JMM subiram ao púlpito para dizer que toda esta liberdade que nós temos aqui no Brasil para adorar ao Pai não existe na maioria dos países asiáticos. Sorrisos caíram, olhos se arregalaram, testas franziram. Mas todos atentos ao chamado de sermos Num, de sermos Nazarenos.

Ao mostrar exemplos de pessoas que decidiram dizer não à religião imposta em seus países para seguir a Jesus, mesmo correndo o risco de tortura e até mesmo de morte, os pastores não queriam criar um clima sensacionalista, mas fazer com que o público presente àquele culto entendesse que precisa se juntar à igreja sofredora, orando e ofertando para que nossos irmãos em Cristo continuem sendo instrumentos usados por Deus para pregar o Evangelho, mesmo nas prisões onde foram parar por anunciar Jesus como Salvador.

Um dos frutos de nossas orações e ofertas estava presente a esse culto e contou como ele, um ex-muçulmano seguidor do Alcorão, conheceu a verdade que liberta. Daniel (pseudônimo) é asiático e começou a ler o Novo Testamento em sua própria língua para ex-muçulmanos que haviam se decidido por Cristo para convencê-los de que estavam errados. No entanto, assim que começou a ter contato com o livro, Daniel percebeu que quem estava errado era ele.

“Quando o Espírito Santo começou a me mostrar o caminho, comecei a me questionar e descobri que amava mais a Jesus Cristo que o Alcorão”, disse Daniel.

Este contato só foi possível porque pessoas aqui no Brasil e de outros países que receberam este chamado decidiram participar desta missão para traduzir o Novo Testamento para a língua farsi e fazê-lo chegar a uma das nações com o maior índice de perseguição a cristãos no mundo.

O Novo Testamento demorou oito anos para ser traduzido para o farsi. Os livros começaram a ser produzidos em 2003, e até hoje já foram distribuídos mais de 1,6 milhão de livros. Nossos irmãos da igreja sofredora não querem que a perseguição pare, mas pedem orações para que Deus os fortaleça diante dela a fim de que possam ser usados para salvar outros do engano.

Outra coisa que eles pedem: “Mandem munição”. Eles precisam de mais bíblias para distribuir ao seu povo. A meta para este ano é distribuir mais 450 mil exemplares do Novo Testamento àqueles que necessitam da Palavra.

Este é um grande desafio para você que tem liberdade de orar, ofertar, adorar a Deus e mostrar que tem a marca do mat_cbb-2017_encontro-jbbNazareno cravada em seu coração. Não podemos ignorar o clamor da igreja sofredora. Este é o propósito desta causa que Missões Mundiais apresentou aos jovens e que em breve levará a todo o Brasil.

Queremos mostrar a sua igreja como Deus tem usado a igreja sofredora, que apesar das dores que tentam lhe impor, tem se alegrado porque vidas estão sendo ganhas para Cristo. São testemunhos impactantes que você poderá ouvir através de um dos nossos missionários ou mobilizadores e por meio de vídeos que não podemos disponibilizar na internet para não colocar em risco a vida daqueles que ainda têm uma missão a cumprir.

Se você deseja recebê-los em sua igreja, escreva para [email protected]. Caso o seu chamado seja para ofertar e orar pelo projeto Bíblias para os Povos, entre em contato com a nossa Central de Atendimento, nos telefones 2122-1901/2730-6800 (cidades com DDD 21) e 0800-709-1900 (demais localidades), nos dias úteis, das 8h às 19h (horário de Brasília). Escreva também para [email protected].

por Marcia Pinheiro, de Belém/PA

ADOTE O PROJETO “BÍBLIAS PARA OS POVOS”


Comente o Artigo

O seu endereço de email não será publicado.